Jogo do Currículo

Monday, September 16, 2002


Eu nasci de oito meses com o cordão umbilical me enforcando
Eu fiz análise com oito anos
Eu joguei minha irmã recém-nascida de uma mesa
Minhas tias me chamavam de "hanuni", que é fofinha em árabe
Eu tenho cílios curvados
Eu sei subir em árvore
Eu trabalho com quizzes
Eu já trepei ao som de "Kill the Poor"
Já tomei baculejo da polícia
Eu já fui no puteiro com um amigo
Eu já cuspi um shot tequila em cima de um namorado
Eu já quebrei todos os meus membros, mais o queixo e o maxilar
Tomei uma lambida no sovaco de um ficante
Viajei no mesmo avião da Daniela Mercury prá Disney
Sim, eu sou sobrinha do Nabil, cacete!
Diz a lenda que também sou parente do Hanna, Hanna-Barbera
Eu JÁ fui assaltada
Conheço o Caribe, mas não conheço o Rio
Eu já tive uma Thyrsa na minha vida
Já morei com uma família só de mulheres
Eu quase fui deportada
Tenho nariz adunco
Choro ao ouvir uma determinada parte de Foolish Games
Sou sonâmbula
Tenho constantes chiliquinhos
Gosto das expressões "incestuous union" e "heartless bitch"
Ainda tenho meu sotaque interiorano
Sou ciumenta e teimosa

Elsa Jane


Angela:Já dormi numa casa da arvore.
Sena: Eu já dormi na rua.
A: Já beijei vários atores mas nunca na boca.
S: Só beijei uma atriz de teatro. Que nem é famosa.
A: Já namorei um francês. Já namorei um italiano.
S:Fiquei afim de uma holandesa.Eu e o congresso estudantil inteiro.
A: Nunca fui expulsa da escola. Mas fui suspensa.
S: Tenho folha corrida no colégio Leonardo da Vinci.
A: Já mastiguei hóstia pra ver se era verdade que saía o sangue do Deus.
S: Adoro mastigar hóstia, mas não sou católico.
A:Já roubei nas Lojas Americanas. Parei. Era muito boa.
S: Só roubei um bonequinho do Playmobil na Sears. Mas isso não faz diferença, essa loja fechou há anos...
A: Já dancei, mambo, valsa. Nunca consegui sambar.
A: Eu só sei dançar techno.
A: Nunca abortei.
S: Por razões óbvias, eu também não!
A: Já sentei ao lado do Sting.
S: Já viajei no mesmo avião do Ultraje a Rigor.
A: Já dormi no colo de um desconhecido.
S: Eu já dormi com desconhecidas!
A: Já senti desejo e ternura pela mesma pessoa.
S: Vivo sentindo isso por várias pessoas.
A: Já andei de helicóptero com um tio louco, que pousava como se fosse avião.
S: Nunca andei de helicóptero, mas adoraria.
A: Já fiquei três minutos e cinqüenta e oito segundos sem respirar.
S: Já contei até mil em voz alta.
A: Já ajudei a construir um veleiro.
S: Eu não sei mais nem fazer barquinho de papel.
A: Já participei de um filme.
S: Eu já apareci na televisão inúmeras vezes, mas no cinema ainda não.
A:Já beijei um sapo pra ver se virava príncipe.
S: Eu sou o sapo!
A: Nunca comi caviar ou escargot e jamais comerei.
S: Já comi polvo, ostra e carneiro.
A: Acampei. Muito. Mas nunca consegui montar barraca sozinha.
S: Não saber montar barraca é um dos meus defeitos.
A: A primeira vez que entrei no mar tinha seis meses, soube nadar desde sempre, sempre amei o mar.
S: Conheci o mar com três anos de idade. Até hoje não sei nadar, embora adore o mar.
A: Já tive um jardim secreto.
S: O mundo é meu jardim.
A: Já tive um pomar.
S: Compro frutas no mercado.
A: Já tive um filho.
S: Se tive filhos, não soube.
A: Já caí de moto e me ralei todinha.
S: Já perdi uma agenda andando de moto.
A: Já tive uma casa.
S: Eu tinha uma quitinete. Vendi.
A: Já saí do meu corpo.
S: Eu tenho a impressão que saio do corpo quando estou sonhando.
A: Aprendi a dirigir com um piloto.
S: Aprendi a dirigir na auto-escola.
A: Já guiei num autodromo. Já fiz a serra de Petropolis no talo, desgarrando no precipício.
S: Já brinquei de kart.
A: Já fiquei pendurada num precipício.
S: Já fiquei pendurado no cartão de crédito.
A: Já caí de um precipício.
S: Já caí da escada.
A: Nunca saí do Brasil mas conheço algumas cidades do mundo como a palma da minha mão.
S: Idem. De tanto ver os mapas, conheço Londres, Paris e Nova York como se já tivesse morado nessas cidades.
A: Já li meu destino nas mãos, nos astros, na areia, nas cartas, nas pedras, nos olhos, na aura, na alma, no passado e no futuro; nunca o presente.
S: Só acredito em astrologia, e olhe lá.
A: Já fiquei cinquenta e três dias sem sair de casa.
S: Só isso? Já perdi a conta de quantos dias fiquei trancado no quarto.
A: Nunca ganhei em jogo.
S: Eu já ganhei um faqueiro em bingo.
A: Já engordei quarenta e dois quilos.
S: Já pesei quarenta e dois quilos.
A: Conheci seis pessoas que cometeram suicídio.
S: Conheço pessoas que deveriam se matar, de tão chatas.
A: Já tive um acesso de riso num velório.
A: Já tive um acesso de riso numa peça do Geraldo Tomás.
A: Já tive um acesso de riso na cama.
S: Costumo rir na cama, mas em velório é sacanagem...
A: Já tive olho no olho com uma onça pintada.
S: Eu também. No zoológico.
A: Aliás, no quesito natureza, já corri de jacaré, já fui abraçada por urso, já fui perseguida por coruja, já fiquei agarrada
às cordas do píer enquanto passava o tornado.
S: Só corri de cachorro bravo.
A: Já caí do cavalo.
S: Nunca andei de cavalo.
A: Nos verões da minha infância nadei com golfinhos.
S: Eu vi os Golfinhos de Miami no ParkShopping.
A: Jamais imaginei que fosse precisar ir tantas vezes a uma delegacia.
S: Eu também não. Mas fui.
A: Já perdi a oportunidade de ficar calada.
S: Isso já é fato costumeiro na minha vida.
A: Já chorei por compaixão.
S: Eu também.
A: Já ri de desprezo.
S: Eu também.
A: Já me achei o máximo.
S: Eu também.
A: Já me achei o fim do mundo.
S: Eu também.
A: Já me achei.
S: Quando eu quero me esconder de verdade, nem eu me acho!

Alexandre Sena


Angela: Já dormi numa casa da arvore.
Bia Badaud: Já caí de cima de uma mangeira, picada por marimbondo
Angela: Já beijei vários atores mas nunca na boca.
Bia Badaud: Nunca conheci nenhum ator. Mas já suturei algumas socialites rs.
Angela: Já namorei um francês. Já namorei um italiano.
Bia Badaud: Já fui cantada por um francês e por um italiano,
mas não rolou nada. O primeiro era casado, o segundo estava bêbado.
A: Nunca fui expulsa da escola. Mas fui suspensa.
BB Já fui expulsa de sala, por estar fazendo bagunça, aos sete anos... absurdo!! Rs.
A: Já mastiguei hóstia pra ver se era verdade que saía o sangue do Deus.
BB: Já quis fazer isso, mas não tive coragem...
A:Já roubei nas Lojas Americanas. Parei. Era muito boa.
BB: Roubei chiclete no supermercado, era boa, mas foi numa época
pré 'câmeras ocultas', também.
A: Já dancei, mambo, valsa.
BB: Dancei bolero, na aula de dança de salão. Adorei!
A: Nunca consegui sambar.
BB: Adoro sambar!
A: Nunca abortei.
BB: Eu já... : (
A: Já sentei ao lado do Sting.
BB: Não sento... sou menina de família : D
A: Já dormi no colo de um desconhecido.
BB: Hahahahaaahaaa! Já beijei um desconhecido, numa festa.
A:Já senti desejo e ternura pela mesma pessoa.
BB: Eu, sempre!
A: Já andei de helicóptero com um tio louco, que pousava como se
fosse avião.
BB: Nunca andei de helicóptero... mas, já andei muito a pé.
Andava uns dezesseis quilômetros por dia, fácil.
A: Já fiquei três minutos e cinqüenta e oito segundos sem respirar.
BB: Iau!!!!! Meu recorde foi pouco mais de um minuto...
A: Já ajudei a construir um veleiro.
BB: Uh... já ajudei a desmontar, limpar, e remontar o carburador
dum fusquinha..
A: Já participei de um filme.
BB: Já fui árvore na montagem de 'A bruxinha que era boa' , da escola.
A: Já beijei um sapo pra ver se virava príncipe.
BB: Argh! Já fiquei olhando um cavalo montando numa égua, indiscreeeeeta!
A: Nunca comi caviar ou escargot e jamais comerei.
BB: Não consigo responder, to rindo muito do 'jamais comerei',
esta você ganha.. rs..
A: Acampei. Muito. Mas nunca consegui montar barraca sozinha.
BB: Idem, idem - empatou
A: A primeira vez que entrei no mar tinha seis meses, soube nadar
desde sempre, sempre amei o mar.
BB: Não lembro com que idade fui ao mar pela primeira vez,
mas, nunca tive medo.
A:Já tive um jardim secreto.
BB: Já tive um cantinho no sítio do pai onde enterrei solenemente
um lagarto, com lápide de pedras e tudo
A: Já tive um pomar.
BB: Já plantei feijão no algodão, na escola...
A: Já tive um filho.
BB: : ( eu não...
A: Já caí de moto e me ralei todinha.
BB: Já caí de mobilete.. rs..
A: Já tive uma casa.
BB: Já tive dois carros, comprados à vista
A: Já saí do meu corpo.
BB: Uia!
A: Aprendi a dirigir com um piloto.
BB: Aprendi a dirigir com um camarada muito gente fina, que levava
fita da betânia cantando RC pra tocar durante a aula.
A: Já guiei num autodromo. Já fiz a serra de Petropolis no talo,
desgarrando no precipício.
BB: Já derrapei de rodopiar muito nesta serra, por óleo na pista..
A: Já fiquei pendurada num precipício.
BB: Se estivesse correndo na serra do óleo, teria despencado de lá..
A: Já caí de um precipício.
BB: Cáspita!
A: Nunca saí do Brasil mas conheço algumas cidades do mundo
como a palma da minha mão.
BB: Já saí algumas vezes, já quis não voltar algumas tantas vezes.
A: Já li meu destino nas mãos, nos astros, na areia, nas cartas,
nas pedras, nos olhos, na aura, na alma, no passado e
no futuro; nunca o presente.
BB: Já consultei videntes de todo tipo; um adotei como
meu pai; outra como minha mãe. Os outros ficaram pra trás.
A: Já fiquei cinquenta e três dias sem sair de casa.
BB: Já fiquei tres dias sem tomar banho.
A: Nunca ganhei em jogo.
BB: Nunca roubei em jogo. Não vejo graça.
A: Já engordei quarenta e dois quilos.
BB: Engordei 12, em dois anos..
A: Conheci seis pessoas que cometeram suicídio.
BB: Já tive medo de vir a querer cometer suicídio.
A: Já tive um acesso de riso num velório.
BB: Já tive acesso de riso ao saber da notícia da morte
de uma vizinha. Eu era criança..
A: Já tive um acesso de riso numa peça do Geraldo Tomás.
BB: Queria ter este senso de humor...
A: Já tive um acesso de riso na cama.
BB: Eu também, mas conversando, depois. Mas já fiquei consolando
um namorado que broxou.
A: Já tive olho no olho com uma onça pintada.
BB: Iau!!!!! Já estive assim com uma jibóia. Dá medo.
A: Aliás, no quesito natureza, já corri de jacaré, já fui abraçada
por urso, já fui perseguida por coruja, já fiquei agarrada às
cordas do píer enquanto passava o tornado.
BB: Já levei coice de cavalo, já capotei por fazer uma curva em
alta velocidade com o cavalo ( rolamos os dois no chão ), já fui
perseguida por um ganso, já estive prestes a me afogar sob uma
cachoeira. Mas não vi o filme da minha vida, não..
A: Já caí do cavalo.
BB: Já caí de uns cinco metros de uma murada nas pedras, no mar.
Quebrei o cotovelo e tinha acabado de ser aprovada no concurso pra
residencia em cirurgia geral. Fui salva por um excelente
ortopedista. E pos Deus, claro.
A: Nos verões da minha infância nadei com golfinhos.
BB: Nooooooooooossa!!!! Delícia... ah, já alimentei golfinhos,
na disneilândia... : (
A: Jamais imaginei que fosse precisar ir tantas vezes a uma delegacia.
BB: Já fui numa, registrar um roubo. Pelo aspecto tive certeza de que
estava perdendo meu tempo ali.
A: Já perdi a oportunidade de ficar calada.
BB: Ih.. nessa eu ganho, faço isso a toda hora.
A: Já chorei por compaixão.
BB: Idem, muito.
A: Já ri de desprezo.
BB: Nunca.
A: Já me achei o máximo.
BB: Idem.
A: Já me achei o fim do mundo.
BB: Idem!
A: Já me achei.
Acabo me perdendo de novo porque o mundo não pára pra
gente ficar se achando. A gente vai.
E nesse indo, no momento, seja isso, o melhor da minha festa:
ir me lembrando pelo caminho, como agora.

Bia Badaud



Home